Não sei bem o quê. Há novos pratos na ementa do restaurante Optimista, em Lisboa [in:visão]

As novidades da carta do Optimista, em Lisboa, confirmam aquilo que o restaurante sempre foi: bom senso, bom gosto e muito “savoir-faire”

Sara Belo Luís

SARA BELO LUÍS

Subdiretora

Na Rua da Boavista, perto do Cais do Sodré, o Optimista abriu em outubro de 2017
1 / 4

Na Rua da Boavista, perto do Cais do Sodré, o Optimista abriu em outubro de 2017

Luís Ferraz

Pica pau com berbigão e molho do bulhão pato
2 / 4

Pica pau com berbigão e molho do bulhão pato

Luís Ferraz

Peixe do dia, puré de couve flor e presunto , feijão verde salteado e couve kimchi à portuguesa
3 / 4

Peixe do dia, puré de couve flor e presunto , feijão verde salteado e couve kimchi à portuguesa

Luís Ferraz

Bife do espelho da agulha, xerém frito ,molho de cheiros, pickle de três pimentos
4 / 4

Bife do espelho da agulha, xerém frito ,molho de cheiros, pickle de três pimentos

Luís Ferraz

Je ne sais quoi – que, no título destas linhas, com boa-vontade, traduzimos para português como “não sei bem o quê” – é uma boa expressão para falar do Optimista e assim tentar explicar o que tem de especial o restaurante do Cais do Sodré. Está na moda e, ao mesmo tempo, não está. Tem uma decoração chique e elaborada, embora não em demasia. A cozinha é sofisticada, mas apenas quanto baste.

A carta – alterada em função do “mercado” e não tanto das estações, como explicam os três sócios do Optimista, Rita Andringa, Filipe Rocha e Pedro Ventura – continua a ser dominada pela gastronomia portuguesa, com uma ou outra incursão por outras cozinhas. Tudo com bom senso e muito bom gosto. Vejam-se os novos pratos e respetivos acompanhamentos (a carta de almoço é mais sucinta e está disponível de terça a sexta): muxama, mousse de algas e camarão e tosta de broa alentejana (€7); pica-pau com berbigão e molho de Bulhão Pato (€8); raviólis de bacalhau, molho de caldeirada, pimento assado e algas (€17); bife do espelho da agulha, xerém frito, molho de cheiros e pickle de três pimentos (€19); e mil-folhas de massa brick, curd de ananás, mousse de coco, chocolate e frutos vermelhos (€7).

Mantêm-se os best-sellers: xerém e lingueirão em conserva e maionese de alho confitado (€6); croquetes de rabo de boi e maionese de couve kimchi à portuguesa (€6); e peixe do dia, puré de couve-flor e presunto, feijão-verde salteado e couve kimchi à portuguesa (€16). Em equipa que ganha não se mexe, há coisas que nunca mudam ou, em linguagem otimista, “não sei bem o quê”.